Home Você Sabia? Alfabeto Grego
Alfabeto Grego PDF Imprimir E-mail

Conheça um pouco...

A

a

Alpha

I

i

Iota

R

r

Rhô

B

b

Beta

K

k

Kappa

S

s

Sigma

G

g

Gamma

L

l

Lambda

T

t

Tau

D

d

Delta

M

m

Mu

U

u

Upsilon

E

e

Épsilon

N

n

Nu

F

j,f

Phi

Z

z

Dzeta

X

x

Ksi

C

c

Khi

H

h

Eta

O

o

Ômicron

Y

y

Psi

Q

q

Théta

P

p

Pi

W

w

Ômega

Há vinte e quatro letras, dezessete consoantes e sete vogais. Algumas consoantes têm som duplo. Algumas letras, como o "sigma", têm variantes é o sigma inicial ou medial,  é o sigma terminal e ? é o sigma lunado, que pode aparecer em qualquer posição. Alguns textos gregos apresentam o iota subscrito depois das vogais longas..

Quanto aos numerais, desde o século -II são utilizadas para a maior parte dos números as próprias letras seguidas de apóstrofo. Há símbolos específicos somente para alguns poucos números, como por exemplo o "sampi": = 900).

Os Sons

A pronúncia do grego antigo não é a mesma do grego moderno, e sua reconstituição atualmente tem interesse somente para os especialistas. Eis, no entanto, algumas informações úteis para o entendimento da poesia grega:

A língua grega tinha acento de natureza musical, e na sílaba acentuada o som se elevava um pouco. Era diferente do acento das línguas modernas, de natureza tônica, em que a sílaba acentuada é pronunciada com mais força.

Forma das palavras

O grego é uma língua indo-européia do tipo flexional, i.e., as terminações das palavras variáveis mudam de acordo com a função sintática.

O significado básico das palavras indo-européias está contido na raiz, geralmente modificada por afixos (prefixos, sufixos, etc.) que especificam o sentido da raiz. O conjunto da raiz e seus afixos é o radical, e o resto da palavra é formada pelas desinências, que variam conforme a flexão.

As palavras variáveis são os substantivos, adjetivos, pronomes, artigos, numerais e verbos. A flexão verbal refere-se somente aos verbos, e a flexão nominal às demais classes de palavras. Aos verbos conjuga-se, e aos nomes declina-se.

A flexão verbal exprime noções referentes à ação:

  • voz: ativa, passiva, média
  • modo: indicativo, subjuntivo, optativo, imperativo, infinitivo, particípio
  • aspecto: durativo, pontual, perfectivo
  • momento temporal: presente, passado, futuro
  • pessoa do discurso: 1ª, 2ª, 3ª
  • número: singular, plural, dual

A flexão nominal exprime noções referentes à caracterização de seres e coisas:

  • gênero: masculino, feminino e neutro
  • número: singular, plural, dual
  • caso: nominativo, vocativo, acusativo, genitivo, dativo

As partículas são palavras invariáveis de múltiplas funções: advérbios, preposições, conjunções, interjeições, etc. Algumas partículas exprimem certas nuances da fala que são intraduzíveis.

Algumas características da língua

Destacam-se, dentre os conceitos estruturais do grego antigo estranhos às línguas modernas, a voz média, o modo optativo, o aspecto verbal, o dual e os casos.

Voz Média

Exprime uma ação que o sujeito pratica particularmente interessado em seu efeito, ou em seu próprio interesse.

Modo Optativo

Exprime, entre outras coisas, uma eventualidade, i.e., uma ação passível de ocorrer no futuro, ou um lamento.

Aspecto

Os aspectos imperfectivo, aoristo e perfectivo refletem a duração e o grau de acabamento da ação expressa pelo verbo.

O imperfectivo apresenta a ação como um processo, durante seu desenvolvimento (aspecto durativo);

O aoristo exprime uma ação pura e simples (aspecto zero, momentâneo ou pontual);

O perfectivo apresenta o resultado de um processo acabado (aspecto resultativo).

Dual

Refere-se a um par de coisas.

Casos

As desinências apostas ao radical básico indicam, além do gênero e do número do substantivo, o caso, i.e., a função sintática da palavra nas frases. Basicamente, o nominativo é o caso do sujeito, o acusativo o do objeto direto, o dativo o do objeto indireto e o genitivo o do complemento nominal ou do adjunto adnominal.

A língua portuguesa conservou rarísssimos vestígios dessas antigas estruturas lingüísticas. A palavra "ambos", por exemplo, evoluiu a partir de um antigo dual.