Home Reflita O Evangelho segundo Demétrio!
O Evangelho segundo Demétrio! Imprimir E-mail
Índice do Artigo
O Evangelho segundo Demétrio!
pagina 2
pagina 3
pagina 4
Todas as Páginas

Nosso texto para meditar começa no versículo 21 do capítulo 19 de Atos dos Apóstolos e termina no versículo 41. Este capítulo é muito especial e traz revelações incríveis. Vamos manter nossa atenção para os versículos contidos entre o vinte e um e o quarenta e um que nos trará uma grande amostra do cristianismo falso que está paralelo ao cristianismo verdadeiramente fundamentado em Cristo. Nem precisamos mencionar que cristianismo vem de Cristo o qual Paulo era testemunha fiel, tanto em Jerusalém, como nos confins da Terra. Paulo era fiel por onde quer que fosse! E nós temos sido?

Recordando o texto:

               At           19:         21          E, cumpridas estas coisas, Paulo propôs, em espírito, ir a Jerusalém, passando pela Macedônia e pela Acaia, dizendo: Depois que houver estado ali, importa-me ver também Roma.

               At           19:         22          E, enviando à Macedônia dois daqueles que o serviam, Timóteo e Erasto, ficou ele por algum tempo na Ásia.

               At           19:         23          E, naquele mesmo tempo, houve um não pequeno alvoroço acerca do Caminho.

               At           19:         24          Porque um certo ourives da prata, por nome Demétrio, que fazia de prata nichos de Diana, dava não pouco lucro aos artífices,

               At           19:         25          Aos quais, havendo-os ajuntado com os oficiais de obras semelhantes, disse: Senhores, vós bem sabeis que deste ofício temos a nossa prosperidade;

               At           19:         26          E bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Ásia, este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão, dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos.

               At           19:         27          E não somente há o perigo de que a nossa profissão caia em descrédito, mas também de que o próprio templo da grande deusa Diana seja estimado em nada, vindo a ser destruída a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo veneram.

               At           19:         28          E, ouvindo-o, encheram-se de ira, e clamaram, dizendo: Grande é a Diana dos efésios.

               At           19:         29          E encheu-se de confusão toda a cidade e, unânimes, correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo na viagem.

               At           19:         30          E, querendo Paulo apresentar-se ao povo, não lho permitiram os discípulos.

               At           19:         31          E também alguns dos principais da Ásia, que eram seus amigos, lhe rogaram que não se apresentasse no teatro.

               At           19:         32          Uns, pois, clamavam de uma maneira, outros de outra, porque o ajuntamento era confuso; e os mais deles não sabiam por que causa se tinham ajuntado.

               At           19:         33          Então tiraram Alexandre dentre a multidão, impelindo-o os judeus para diante; e Alexandre, acenando com a mão, queria dar razão disto ao povo.

               At           19:         34          Mas quando conheceram que era judeu, todos unanimemente levantaram a voz, clamando por espaço de quase duas horas: Grande é a Diana dos efésios.

               At           19:         35          Então o escrivão da cidade, tendo apaziguado a multidão, disse: Homens efésios, qual é o homem que não sabe que a cidade dos efésios é a guardadora do templo da grande deusa Diana, e da imagem que desceu de Júpiter?

               At           19:         36          Ora, não podendo isto ser contraditado, convém que vos aplaqueis e nada façais temerariamente;

               At           19:         37          Porque estes homens que aqui trouxestes nem são sacrílegos nem blasfemam da vossa deusa.

               At           19:         38          Mas, se Demétrio e os artífices que estão com ele têm alguma coisa contra alguém, há audiências e há pro cônsules; que se acusem uns aos outros;

At           19:         39          E, se alguma outra coisa demandais, averiguar-se-á em legítima assembleia.

               At           19:         40          Na verdade até corremos perigo de que, por hoje, sejamos acusados de sedição, não havendo causa alguma com que possamos justificar este concurso.

               At           19:         41          E, tendo dito isto, despediu a assembleia.