Home Reflita O Amor de Deus pelo Homem caido!
O Amor de Deus pelo Homem caido! PDF Imprimir E-mail
Índice do Artigo
O Amor de Deus pelo Homem caido!
pagina 2
pagina 3
pagina 4
pagina 5
pagina 6
Todas as Páginas

alt'Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos'. (Romanos 5:15)

1. Quão excessivamente comum, e quão cruel é o clamor contra nosso primeiro pai pelo dano que ele não apenas trouxe sobre si mesmo, mas impôs sobre suas últimas posteridades! Foi devida sua rebelião obstinada contra Deus que 'o pecado entrou no mundo'. 'Pela desobediência de um homem', como observa o Apóstolo, muitos 'foram feitos', ou constituídos, 'pecadores': Desprovidos, não apenas do favor de Deus,

mas também de sua imagem; de toda virtude, retidão, e santidade verdadeira; e sucumbiram, parcialmente, através da imagem do diabo, -- do orgulho, malícia, e todos os outros temperamentos demoníacos; parcialmente, da imagem do bruto, estando sob o domínio das paixões brutais e apetites humilhantes. Por meio disto, também, a morte entrou no mundo, com todos os seus precursores e atendentes, -- dor, doença, e toda uma série de dificuldade, assim como paixões e temperamentos pecaminosos.

2. Assim sendo, tem ecoado, de geração em geração, que, 'por tudo isto, nós só temos a agradecer a Adão'. A mesma responsabilidade lhe sendo imputada, em todas as épocas, e em todas as nações, onde os oráculos de Deus são conhecidos; nas quais, tão somente este grande e importante evento tem sido descoberto pelos filhos dos homens. Será que seu coração, e provavelmente os seus lábios, também não se juntaram na responsabilidade geral? Quão poucos existem que acreditam na relação bíblica do homem caído, e que não têm nutrido o mesmo pensamento com respeito ao nosso primeiro pai, condenando severamente aquele que, através de desobediência obstinada ao único comando de seu Criador, trouxe para o mundo a morte e toda as nossas aflições!

3. Seria bom que a responsabilidade ficasse por aqui. Mas ela certamente não fica. Não se pode negar que ela freqüentemente lança-se de Adão, para seu Criador. Por acaso milhares desses que são chamados cristãos, não tiveram a liberdade de chamar a misericórdia de Deus, se não, Sua justiça também, para o questionamento desta mesma responsabilidade? De fato, alguns têm feito isto um pouco mais modestamente; de uma maneira oblíqua e indireta; mas outros têm arrancado a máscara e perguntado: 'Será Deus não previu que Adão abusaria de sua liberdade? Ele não sabia das conseqüências danosas que isto deveria ter naturalmente sobre toda sua posteridade?Por que, então, Ele permitiu esta desobediência? Não seria mais fácil ao Altíssimo tê-la impedido?' – Ele certamente previu o todo. Isto não pode ser negado. Porque 'conhecidas são para Deus todas as suas obras, desde o começo do mundo'; antes, desde toda a eternidade, como as palavras propriamente significam. E estava indubitavelmente em seu poder impedir isto; porque Ele tem todo o poder sobre os céus e a terra. Mas, ao mesmo tempo, ele sabia que seria melhor impedir. Ele sabia que 'a transgressão não é como o dom gratuito'; que o mal resultante do primeiro, não seria como o bem resultante do segundo, -- não seria merecedor de ser comparado a ele. Ele sabia que permitir a queda do primeiro homem seria muito melhor para a humanidade em geral; porque o bem seria abundantemente maior do que o mal que poderia advir para a posteridade de Adão, através de sua queda; que se o pecado abundasse'; ainda assim, a graça 'abundaria muito mais'; sim, e esta a cada indivíduo da raça humana, a menos que fosse de sua própria escolha.