Home Departamentos Música Unidade no Louvor
Unidade no Louvor PDF Imprimir E-mail

 A Unidade no Grupo de Louvor

 

 

 

Engrandecei o Senhor comigo e todos a uma Lhe exaltemos o nome(Sl 34:3).

 

A mensagem desta semana tem como objetivo mostrar a devida importância da unidade entre os integrantes do grupo de louvor e como a desunião entre os mesmos prejudica o fluir da adoração, do verdadeiro louvor à Deus, bem como, o crescimento do corpo de Cristo.

 

Cada integrante do grupo de louvor tem sua função e importância. Seja o baterista, o guitarrista, o tecladista, o dirigente, enfim todos os participantes do ministério de louvor e adoração, precisam estar unidos pelo mesmo objetivo: adorar à Deus e levar a congregação à adorá-Lo. Por essa razão a unidade é o ponto chave para que o louvor possa fluir sem que haja impedimentos.

 

Primeiramente, voltemos a nossa mente para compreender a necessidade da união entre os irmãos. Vamos imaginar que um de nossos pés decidisse ir para a direita e o outro pé decidisse ir para a esquerda. O que aconteceria? Certamente iríamos cair e nos machucar, não é verdade?, ou seja, o corpo precisa estar em sincronismo. Da mesma forma, nós como membros do corpo de Cristo, devemos estar unidos, termos o mesmo sentimento uns para com os outros(Ef 2:2) e sobretudo estarmos em constante obediência à Cristo, o cabeça da igreja(Cl 1:18).

 

Em I Co 1:10, a Bíblia nos ensina que todos nós devemos falar a mesma coisa, que não deve haver divisões entre nós, mas sim devemos ser inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.

 

A unidade é boa e agradável(Sl 133:1). Porém todos nós sabemos que preservá-la não é coisa simples, exige esforço( Ef 4:3), humildade(Ef 2:3), negação do Eu, o dar a outra face e que também sem a unidade o corpo não cresce, fica estagnado(Ef 4: 15-16).

 

A unidade é fundamental em um grupo de louvor. Um grupo de louvor desunido, jamais atrairá outras pessoas a participarem do culto, a louvarem a Deus de todo coração, bem como conduzir a congregação à Sua presença. Pois, não adianta tentarmos oferecer um louvor verdadeiro à Deus se em nossos corações há mágoas e ressentimentos contra as pessoas. Jesus mesmo nos ensina que antes de entregarmos à Deus uma oferta, se tivermos alguma coisa contra um irmão, devemos primeiramente nos reconciliar com esse irmão para que então possamos ofertar.(Mt 5:23-24)

 

Tomemos como exemplo um instrumento de corda, o violão. Cada corda está ligada ao violão, cada uma produz uma nota musical e tem sua devida importância. O rompimento de uma delas prejudicará indiscutivelmente a qualidade do som, que só será recuperada se essa corda partida voltar a soar. Assim percebemos que havendo contendas e rompimentos de relacionamentos entre os integrantes de louvor, não haverá unção no louvor e por conseqüência a adoração não irá fluir como deveria. Portanto irmãos, devemos nos desviar de contendas(Pv 20:3) e liberar perdão ao nosso próximo para que o nosso louvor possa subir como aroma suave e agradável ao nosso Deus e que o exemplo desta unidade possa servir de atrativo de muitas pessoas à Cristo e que finalmente todos a uma exaltemos o nome do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.